Páscoa: Cordeiro ou Coelho?

A produção de ovos de Páscoa no Brasil atingiu neste ano uma marca jamais alcançada. Segundo estimativa da Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados, associação que reúne 90% dos fabricantes de chocolate no país, 220 milhões de unidades chegaram ao mercado – 200 milhões fabricados pela indústria e outros 20 milhões confeccionados em fábricas menores, parte delas no mercado informal.
Dados da Nestlé, uma das líderes do setor, são ainda mais vistosos: eles indicam uma produção de 100 milhões de ovos de chocolate. Tal volume exigiu das empresas uma verdadeira operação de guerra. Lacta, Nestlé e Garoto, que juntas respondem por 70% dos chocolates no país, começaram a planejar a Páscoa de 2012 uma semana depois da de 2011. A fabricação propriamente dita teve início seis meses atrás. Para executar a “Operação Páscoa”, como já é conhecida a empreitada, foi preciso contratar, em regime temporário, algo como 25 000 funcionários.
Mas o que é a páscoa? A páscoa é uma festa religiosa, a verdadeira páscoa representava a libertação do povo de Deus de então: o povo hebreu, da escravidão do Egito. E apontava para Jesus o cordeiro de Deus que viria para nos libertar da escravidão do pecado. Era uma data fixa, Levítico 23:5 no mês primeiro, aos catorze do mês, no crepúsculo da tarde, é a Páscoa do SENHOR.
Não era no domingo, era uma data fixa. Um cordeiro era morto e a carne era comida com ervas amargas. E o fermento era totalmente retirado das casas.
O hábito de dar ovos de verdade vem da tradição pagã, porque cultuavam o início da vida. Os chineses e os povos do Mediterrâneo também tinham como hábito dar ovos uns aos outros para deixá-los coloridos, os ovos eram cozidos com beterrabas.
E a história do coelho? Vem de uma outra tradição pagã um culto a fertilidade. Os pagãos celebravam Ostera, a deusa da primavera, simbolizada por uma mulher que segurava um ovo em sua mão e observava um coelho, representante da fertilidade, pulando alegremente ao redor de seus pés.
O hábito de trocar ovos de chocolate surgiu na França. Antes disso, eram usados ovos de galinha para celebrar a data.
O problema, é que ao procurarmos contextualizar os elementos, geralmente vamos cedendo um pouco, aqui um pouco ali e acabamos fazendo um sincretismo tal que misturamos com um monte de coisas e o verdadeiro sentido da páscoa acaba se perdendo.
Vamos ver o que diz a Bíblia, a Palavra de Deus? João 1:29 “No dia seguinte viu João Batista a Jesus e disse: Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”.
Cuidado para não colocar Jesus como um mero coadjuvante, cuidado para não dar a Cordeiro de Deus, um papel secundário na sua vida. Ainda mais, quando se comemora o Seu Sacrifício, a Sua Morte e a Sua Ressurreição.

Fonte: Novo Tempo – Está Escrito

Deixe aqui seu comentário